Mulher de 47 anos não consegue vaga em hospital especializado em Covid-19 no RJ e morre a míngua em casa

Patrícia auxiliar de dentista de 47 anos, com suspeita de coronavírus foi ao Hospital do Rio de Janeiro mas não conseguiu vaga.

Em muitos hospitais do país não há mais leitos, respiradores, nem vagas em UTIs, muitas pessoas com os sintomas da COVID-19, precisam realizar tratamento em casa é ai que está todo problema.

Patrícia auxiliar de dentista de 47 anos, com suspeita de coronavírus foi ao Hospital do Rio de Janeiro mas não conseguiu vaga na unidade de tratamento, veio a falecer no dia 22 sexta-feira.

PUBLICIDADE

Familiares de Patrícia, informaram que muitas vezes foram ao pronto atendimento na região metropolitana do Rio de Janeiro, mas por não haver vagas na UPA ela foi mandada de volta para casa.

De acordo com o relato da família, ela estava com sintomas da covid-19 a 14 ou 15 dias, parecia que estava bem, alguns dias passava melhor do que os outros, buscaram atendimento na UPA de Seropédica e eles diziam que não tinha muito o que fazer, pois não havia leitos disponíveis, o tratamento devia ser feito em casa.

PUBLICIDADE

A família conta que Patrícia morreu por volta das 14 horas enquanto tomava banho. Matheus, sobrinho de Patrícia questionou se as pessoas que estão com sintomas de covid-19, deveriam mesmo ficar em casa, ou se o tratamento seria eficaz somente no hospital.

De acordo com informações da rede pública de saúde, 308 pessoas com suspeitas ou com resultado positivo para coronavírus aguardam leitos em UTI e 184 aguardam vaga para leitos em enfermaria.

Fernando Ferry, da Secretaria Estadual de Saúde desistiu de aplicar um protocolo para atendimento de paciente por covid-19, segundo ele um protocolo é em caráter de obrigação, já uma conduta é uma recomendação, porque se todas as pessoas com sintomas do coronavírus forem atendidas e hospitalizadas precisaria de leitos para todos e não há.

Essa ideia não iria funcionar, pois seis dos sete hospitais de campanha do Estado estão atrasados, o diretor da UPA está averiguando, se houve negligência no caso do atendimento a Patrícia, o médico afirma que irá investigar se ela passou pelas tendas de atendimento aos pacientes de covid-19.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.