Mulher afirma ter matado o marido esfaqueado por legítima defesa: “Era ele ou eu”

Para que não entrasse em uma triste estatística, ela precisou matar seu marido em legítima defesa

A definição que Úrsula Francisco deu de seu marido é que ele era um bom homem. Igualmente apaixonado por música, assim como ela, foi ele próprio que realizou o sonho dela de ter um piano em casa.

Ele construiu uma piscina e brincava à noite com o filho nela, depois que chegava do serviço, no quartel da Polícia Militar em Nova Iguaçu (RJ).

PUBLICIDADE

“Ele tocava trombone e bombardino, a gente passava o dia todo tocando instrumentos”, disse ela em entrevista concedida. Os primeiros 10 anos do casamento, foram de muita paz, mesmo com algumas crises de ciúmes por parte de Ronaldo de vez em quando.

Contudo, quando ela engravidou, o homem que era bom, foi se tornando cada vez mais um homem agressivo.

PUBLICIDADE

Até mesmo um copo no lugar errado era motivo de briga. Até que, começaram os gritos e agressões, uma violenta rotina que perdurou cerca de uma década. Para que não entrasse nas estatísticas de feminicídio, Úrsula precisou se defender e acabou matando o marido com um tiro.

Um estudo aponta que, a cada 4 minutos no Brasil uma mulher “cai no banheiro”, “tropeça na escada” ou “escorrega no tapete da sala”. E a cada duas horas, pelo menos uma não sobrevive para conseguir inventar a próxima desculpa para os hematomas que surgem no corpo.

“Se minha mãe não tivesse feito isso, nós não estaríamos aqui hoje”, afirma Ronan filho de Úrsula, atualmente com 22 anos e pai de uma criança de quatro anos.

Depois de tudo o que aconteceu, sua mãe e ele fugiram durante um ano, mudando de casa cerca de 7 vezes, temendo uma possível vingança por parte de outros policiais.

“Naquela época, eu fui instruída por um delegado de Nova Iguaçu a me esconder na cidade em que estava. ‘Por seu marido ter sido um policial, você já sabe. Eles podem querer fazer algo ruim com você’, ele me disse”, conta Úrsula, que já não vive mais com medo. Seis anos após o acontecido, ela foi absolvida.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.