Mulher mata ex-marido com ajuda de sua namorada e ostenta o dinheiro dele nas redes sociais

Mayra juntamente de sua namorada é acusada de assassinar e roubar Ricardo Girardi Araújo, seu ex-marido

Um casal que assassina, foge e ostenta nas redes sociais. Mayra Pereira e Elisângela Abas, ambas foram detidas em março desse ano, no Paraná, por assassinarem o ex-namorado de uma delas, o perito aposentado da Polícia Civil, Ricardo Girardi Araújo, que tinha 60 anos de idade.

O crime aconteceu em Nova Iguaçu, no Grande Rio, em março e foi completamente registrado por uma câmera de segurança que havia casa de Ricardo.

PUBLICIDADE

Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), responsáveis pela investigação do crime, encontraram a dupla criminosa, logo após as mesmas fazerem diversas postagens em hotéis de luxo em suas redes sociais – o detalhe é que absolutamente tudo foi pago com o dinheiro que levaram da vítima, de acordo com informações da polícia.

As fotos postadas por elas, passam facilmente a impressão de serem viagens de férias ou de uma possível lua-de-mel, que teve direito a passeio em bar de gelo, tirolesa, restaurantes com vista paradisíacas, cachoeiras e muito mais.

PUBLICIDADE

Fotos essas que, ao mesmo tempo, foram pistas cruciais utilizadas pela equipe de investigadores para descobrir o macabro plano do casal.

 As duas se conheceram atrás das grades, no ano de 2019, época em que Mayra havia sido presa por roubo, enquanto que Elisângela, por tentativa de homicídio. Ainda presas, elas decidiram que se juntariam para fazer do policial, sua mais nova vítima.

Ricardo Girardi tinha uma filha com Mayra e foi vítima de uma emboscada no dia 14 de fevereiro.

Ele morava só e teve sua casa invadida por Mayra e Elisângela, como aponta a investigação. Algumas imagens do local, mostraram que o policial estava dormindo no sofá da sala enquanto que as duas mulheres –estavam em outro cômodo da casa.

De acordo com a polícia, o vídeo mostra Mayra disparando contra Ricardo e fugindo em seguida com sua parceira levando o carro, dinheiro e algumas armas que pertenciam a Ricardo.

Após esses acontecimentos, elas passaram a ser monitoradas por 1 mês, tempo em que os investigadores conseguiram rastrear cerca de dez hotéis e assim, identificaram todos os lugares nos quais elas estiveram.

Uma parte considerável do dinheiro que elas gastaram na viagem era do policial civil que havia sido assassinado. A dupla então, decidiu alugar um apartamento em Curitiba, local em que ambas foram presas.

Durante a prisão das duas, os peritos encontraram uma pistola. A polícia acredita que essa possa ser a arma do crime, roubada da vítima.

“Elas foram levadas à uma delegacia do Paraná, onde se constatou o auto de prisão em flagrante por porte ilegal de arma de fogo, que é a pistola da vítima, anteriormente furtada e sequentemente, utilizada para mata-lo”, informou o delegado do caso, Uriel Alcântara.

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.