Mulher que não acreditava no covid-19 perde o marido: “Cheguei a zombar da doença”

Esposa lamenta: "há 15 dias, eu escutava essas palavras ‘fique em casa’ e até cheguei a zombar".

Silvana é comerciante de Santa Rita, em João Pessoa, e ela defendia o funcionamento do comercio da cidade. Ela chegou a zombar da frase “fique em casa”.  Ela realizou a gravação de um vídeo incentivando o isolamento social, diante a essa nova pandemia causada pelo novo covid-19.

O marido de Silvana, conhecido como Marco Cirino da Cunha, tinha apenas 57 anos de idade, e era o Sargento reformado da Polícia Militar, que acabou vindo a óbito no dia 30 de março por coronavírus.

PUBLICIDADE

Anteriormente, Silvana era defensora do funcionamento do comercio e criticava o isolamento social, como o próprio
Presidente da República, Jair Bolsonaro, o fez. Atualmente, ela é dona de uma vidraçaria, e devido aos acontecimentos que mudaram a sua vida, hoje ela fez um apelo a população e pede para que todas as pessoas fiquem em casa.

Ela disse o seguinte: “há duas semanas, eu sempre escutava a frase ‘fique em casa’ e ainda cheguei a zombar dessa situação. Quando fui para a minha loja, ainda gravei um vídeo dizendo ‘fique em casa, mas quem ira pagar as nossas contas no fim do mês’? Hoje em dia, peço para que as pessoas realmente fiquem em casa.

PUBLICIDADE

Após perder o marido para a nova doença, a comerciante Silvana realizou o fechamento de sua loja e se conscientizou do real problema que essa pandemia trouxe as pessoas. Ela precisou ir para uma granja de sua família, com o seu filho de apenas 10 anos. Ela contou que o menino sente muito a falta do pai.

No dia 15 de abril, Marco começou a sentir alguns sintomas da covid-19, como a falta de ar e a tosse seca. Já no dia 17 de abril, Marco foi levado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde teria sido diagnosticado com pneumonia.

Ela contou que chegou a implorar para que o medico da unidade fizesse o exame para a detecção do covid-19, mas ele relatou que o marido dela não estava com sintomas da nova doença. Ele simplesmente diagnosticou como pneumonia, e receitou alguns antibióticos e mandou Marco para casa.

No dia 22 de abril, Marco sentiu uma grave falta de ar, onde ele chegou a perder a consciência e desmaiou. Novamente ele foi levado a UPA, mas fizeram a sua transferência para o Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho.

Marco possuía diabetes e doença cardiovascular. Quando chegou ao hospital, foi submetido ao exame da doença, onde testou positivo para a mesma e precisou ser entubado. Ele foi transferido para outro hospital e morreu no dia 30 de abril.

 

Escrito por V Guimarães

Colunista de todos os assuntos, como tv, famosos, culinaria, medicina, filmes, series, saude, bem-estar, lazer. Gosto de todos os assuntos