No final de uma palestra na escola, criança de 10 anos entrega bilhete com conteúdo assustador

Incentivada pela palestra que acabara de ouvir, menina entrega bilhete.

Uma menina de apenas 10 anos do surpreendeu a todos em sua escola ao escrever um bilhete com uma denúncia depois de ter assistido a uma palestra sobre abuso sexual, a palestra fazia parte do programa Proerd.

No final da palestra, o palestrante incentivou as crianças que tivesse alguma pergunta, mas que estariam com vergonha de falar na frente dos colegas, a escrever um bilhete e colocar em uma caixinha, a pergunta seria respondida de forma anônima. Foi aí que a menina decidiu escrever o bilhete com a pergunta:

PUBLICIDADE

“Eu já fui abusada pelo meu pai, isso pode ser denúncia? Sim ou não?”.

Depois de ler a pergunta da menina, a escola chamou o Conselho Tutelar e entregou o bilhete escrito por ela, o conselho registrou o boletim de ocorrência.

PUBLICIDADE

A mãe da menina foi chamada a escola e ela contou que a filha morou com o pai por cinco meses em outra cidade e nesse tempo ela não tem como saber se aconteceu algo dessa natureza com a filha, mas tudo indica que a criança tenha sido abusada pelo pai nesse período que viveu com ele.

A mãe contou também que sempre falava com a filha por telefone ela chorava muito e pedia para vir embora, além de contar que o pai batia nela, mas que nunca falou nada sobre abuso sexual.

A mãe contou também que suas conversas com a filha eram sempre vigiadas ou pelo pai ou pela madrasta, os dois sempre ficavam ali perto enquanto as duas conversavam como se quisessem impedir a garota de dizer alguma coisa que eles não queriam que a mãe da criança soubesse.

A mãe contou ainda que sempre perguntou à filha várias vezes se o pai fazia algo além de bater nela, mas ela percebia que a filha mudava de assunto e não contava o que realmente tinha acontecido, mas ela nunca imaginou que o próprio pai poderia fazer algo dessa natureza com a própria filha.

Infelizmente casos como esse acontecem todos os dias, os pais precisam estar atentos a qualquer sinal que a criança possa dar, geralmente o comportamento muda e a criança se isola e mostra nervosismo quando está próxima ao autor do abuso.

Escrito por Carla Lopes Silva

Colunista em sites de notícias e curiosidades. Adoro escrever sobre todo tipo de assunto. Curiosa por natureza, e amante da internet. Contato: [email protected]