Número aumentado de registros de óbitos nos cartórios do RJ indicam número muito maior de mortos por Covid-19 do que o divulgado

Pela certidão de Óbito registrado no estado, o registro mostra um número elevado de mortes.

A Secretaria Estadual de Saúde, contabilizou no Estado do Rio de Janeiro nesta segunda-feira dia 27, 677 mortes por  COVID-19, no dia 28 o número subiu para 738.

Os casos em investigação e os descartados eram 1090,  mas de acordo com dados dos cartórios, o número de mortes por coronavírus no estado do Rio de Janeiro pode ser até 122% maior do que o que está sendo divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, pois o órgão é responsável pela certidão de Óbito registrado no estado, o  registro mostra um número elevado de mortes.

PUBLICIDADE

De acordo com especialistas, isso se deve a poucos testes sendo   realizados em pacientes que morreram com insuficiência respiratória ou síndrome respiratória.

O Portal de Transparência CRC, contabilizou 1507 mortes pela doença ou com suspeita de coronavírus no estado.

PUBLICIDADE

A pneumologista Margareth Dalcolmo, afirma que os dados podem indicar subnotificação, pois em 16 de março morreu a primeira vítima de COVID-19 no Estado do Rio, até o dia 28 de abril foram 1240 mortes, são 135 a mais do que o ano de 2019, os cartórios estão tendo um aumento de óbitos por síndrome respiratória aguda grave, neste mesmo período no ano passado eram 9, mas saltaram para 232.

A pneumologista, afirma que não se sabe o agente causador de todas essas mortes, mas há muitas chances de ser atribuída ao COVID-19.

De acordo com Roberto Medronho infectologista, grande parte das síndromes respiratórias aguda grave, devem ser consideradas como COVID-19 e também uma grande parte de insuficiência respiratória.

É possível que esta subnotificação está ocorrendo pela falta de testes no estado, quando o paciente não tem o diagnóstico no início da doença tem uma piora rápida, quando falta o teste, o médico faz a declaração de óbito sem diagnóstico correto, pois há muitos outros vírus com síndromes respiratórias, mas no momento o coronavírus está em maior circulação.

Completou o infectologista Roberto, que as mortes por causas indeterminadas tiveram aumento significativo, saltaram de 6 para 342 óbitos, uma pesquisadora da Fiocruz disse que até mesmo as pessoas que morrem em casa, deveriam realizar o teste para coronavírus.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.