O ministro Paulo Guedes, fala sobre a possibilidade e necessidade de prorrogar o auxílio emergencial

Governo deve estudar uma forma de amparar os trabalhadores até a retomada integral da economia, mas pode pagar menos que R$ 600 nesse período

Nesta terça-feira dia 19, o ministro Paulo Guedes em reunião com empresários admitiu que pode prorrogar o auxílio emergencial de 600 reais, mas se pagarem um terço desse valor que seria um valor de 200 reais por mês, para ajudar as famílias com dificuldades em meio a   pandemia.

De acordo com Guedes, o auxílio não poderá continuar maior que o bolsa família, que também é de 200 reais, a proposta é que em abril maio junho os que realizaram seu cadastro que foram aprovados receberão 600 reais e fazendo um novo cadastro para receber continua recebendo o valor de 200 reais com até o mês de agosto.

Questionou o ministro: As pessoas preferem 1 mês de 600 ou 3 meses de 200? De acordo com Guedes se houver mais três meses de auxílio emergencial, ninguém vai trabalhar, todos permanecerão no isolamento, pois a vida vai ficar boa e tranquila, ninguém vai morrer de fome, o medo das pessoas é prateleira vazia, não ter recurso.

Escrito por Marcos Antonio Martins

Marcos Martins, é mineiro da gema, nasceu no dia 30 de abril 1975, tem dois filhos lindos que não sabe se parece com ele ou com sua esposa, é cheio de defeitos, mas as qualidades são perceptíveis.