O presidente Bolsonaro anuncia a Operação Lava Jato na Educação

será apurados indícios de corrupção e desvios no âmbito do MEC

Nesta sexta-feira (15), O presidente da republica brasileira, Jair Messias Bolsonaro, declarou em seu perfil pessoal nas redes sociais, que o governo dará inicio a uma Operação Lava Jato na Educação. De acordo com as palavras do gestor do Brasil, o Ministro Ricardo Veles verificou inúmeros indícios de corrupção no Ministério da Educação – MEC, em gestões anteriores.

Á frente da lava a jato da educação estará Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública.” Um acordo formal para dar início aos trabalhos foi feito em reunião entre o Professor Velez e os Ministros Sergio Moro (Justiça), Wagner Rosário (CGU) e André Mendonça (AGU), com a presença do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. É apenas o primeiro passo!”, declarou Jair Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Houve queda significante nas ações de empresas ligadas a educação após o anuncio do capitão. Em nota, o Ministério da Educação informou que a investigação é uma das metas da pasta dentro do plano de ações dos cem primeiros dias. “A partir de agora, MEC encaminhará os documentos necessários para que Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia-Geral da União e Controladoria-Geral da União possam aprofundar as investigações, instaurar inquéritos e propor as medidas judiciais cabíveis”.

PUBLICIDADE

O Ministro da Educação enviou nota através de sua assessoria de imprensa dizendo: “Queremos apurar todos os desvios praticados por pessoas que usaram o MEC e as suas autarquias como instrumentos para desvios”, buscando averiguar as “possíveis fraudes no MEC com as irregularidades e privilégios indevidos no ProUni- Programa Universidade para Todos e supostos desvios no Pronatec- Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego ,envolvendo o sistema S, concessão ilegal de bolsas de ensino a distância e irregularidades em universidades federais”. Nota oficial, assinada por Sérgio Moro e Ricardo vélez, assim como outros representantes da Controladoria Geral da União (CGU) e da Advocacia Geral da União (AGU). “Também participou da reunião o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo”, afirma o Ministério da Educação.

 

Escrito por Carla Lopes Silva

Colunista em sites de notícias e curiosidades. Adoro escrever sobre todo tipo de assunto. Curiosa por natureza, e amante da internet. Contato: [email protected]