Polícia Federal apreende helicóptero com meia tonelada de cocaína avaliada em mais de R$4 milhões

As investigações revelaram como a organização criminosa realizava suas ações. O bando fazia duas viagens por semana, quando iam até o Paraguai para buscar a droga e levavam para o interior de São Paulo.

A polícia Federal teve bastante trabalho na madrugada do dia 13 em Presidente Prudente, no interior de São Paulo.

Três pessoas foram presas e uma conseguiu fugir em ação que apreendeu um helicóptero com mais de meia tonelada de cocaína, o material é avaliado em mais de R$4 milhões.

PUBLICIDADE

Danilo Sousa Novais, dono da aeronave, a namorada de um traficante e o piloto, que fugiu inicialmente, foram presos. Uma pessoa ainda não identificada conseguiu fugir, informou a polícia.

A operação, batizada de Flying Low, foi desenvolvida especialmente para combater o tráfico que era empregado por vias aéreas. A mesma operação também apreendeu carros de luxo na capital, os veículos estariam ligados ao tráfico.

PUBLICIDADE

As informações foram confirmadas pelo chefe da delegacia da PF em Presidente Prudente, Daniel Coraça Júnior.

Júnior também revelou que as investigações vinham sendo conduzidas há mais de um ano e que contaram com “informações de outras forças policiais e de pessoas da região que viam as atividades estranhas”.


As investigações revelaram como a organização criminosa realizava suas ações. O bando fazia duas viagens por semana, quando iam até o Paraguai para buscar a droga e levavam para o interior de São Paulo.

Toda a ação era feita através de helicópteros. Segundo Marcelo Ivo, o delegado regional de investigação, os acusados foram “autuados em flagrante pelo crime de tráfico internacional de entorpecentes e associação para o tráfico”.

Ainda segundo Ivo, cada quilo de cocaína rendia ao bando cerca de R$800. O patrimônio total dos envolvidos no esquema superavam o valor de R$20 milhões.

O helicóptero, usado no esquema, é avaliado em R$4 milhões e ainda estava equipado com um  sistema sofisticado para realizar voos noturnos, equipamento avaliado em R$1 milhão.

Por não possuir autonomia para voar por todo o trajeto, os traficantes sempre precisavam realizar um pouso estratégico.

O local escolhido era sempre um matagal isolado na região de Presidente Prudente. Além do helicóptero, drogas e carros de luxo, a polícia também apreendeu dinheiro em espécie e armas.

Para realizar a ação que resultou nas apreensões, foram deslocados 20 agentes da polícia federal, que foram apoiados por agentes da polícia militar.

Escrito por Pedro Machado

Apaixonado por marketing digital, colunista em diversos sites e páginas do facebook. Trabalhando como redator autônomo há mais de 5 anos. Contato: [email protected]