Policial de folga tira a vida de jovem que brincava com réplica de arma no Rio

A mãe do jovem alega que ele foi morto pelas costas e policial que o jovem levou a mão a cintura como se fosse sacar.

Nesta quinta-feira, 12 de novembro, um jovem de 20 anos, chamado Thiago Azevedo foi morto a tiros por um policial militar, que estava de folga, por está portando uma armar de brinquedo, na zona Oeste da capital carioca.

O jovem Thiago Azevedo estava no bairro do Jardim Maravilha, em um bar, com amigos, quando um policial militar fez a abordagem após suspeitar de um volume sob a camisa de Thiago.

PUBLICIDADE

Charli do Nascimento, o PM envolvido na situação, afirma que se apresentou como policial militar para Thiago e de acordo com Charli, o jovem o respondeu de forma bastante ríspida e perguntou” qual é?” logo em seguida levando a mão para a cintura como se fosse sacar e atirar. O PM ainda admitiu que fez 2 disparos. Thiago Azevedo morreu na hora no local.

Já a mãe de Thiago afirma que o PM não fez nenhuma revista e disparou pelas costas do rapaz. Ela ainda disse que o policial estava comendo e bebendo no local e que após o filho virar as costas efetuaram quatro disparos em Thiago que estava apenas brincando com uma arma falsa.

PUBLICIDADE

Gloria, mãe do jovem, ainda falou que fez um alerta ao filho sobre o perigo de andar com uma arma de brinquedo e que ele não deveria sair de casa portando a réplica, porem ele disse que iria apenas brincar e depois jogar fora.

Gloria ainda falou que Thiago era hiperativo e nunca fez mal a nenhuma pessoa e lamentou que o filho nunca mais voltaria.

A delegacia de homicídios mandou uma equipe para o local e tanto a réplica e a arma do PM foram recolhidas para que seja feita a perícia.

Escrito por Thiago Aureliano Nascimento Conceição

colunista de variedades, tv e famosos, fofocas, política e policial. um pseudo nerd que entende um pouco sobre o assunto.