Por ordem da justiça mulher infectada pela Covid-19 que furou o isolamento e saiu nas ruas terá que usar tornozeleira eletrônica

A mulher de 42 anos teve a prisão domiciliar decretada, depois de insistir em sair de casa

A pandemia de COVID-19 possui dois lados, de um lado pessoas altruístas, que ajudam, que se preocupam com o próximo, do outro lado pessoas que não se preocupam com a pandemia, nem consigo mesmos e com aqueles que podem perder a vida por causa desse vírus.

Recentemente uma mulher do Mato Grosso do Sul em Ponta Porã, diagnosticada com coronavírus foi obrigada a usar tornozeleira por desrespeitar o isolamento social.

PUBLICIDADE

A mulher de 42 anos teve a prisão domiciliar decretada, depois de insistir em sair de casa e se relacionar com outras pessoas quando já teve positivo para o coronavírus, a justiça determinou que a mulher infectada com coronavírus usasse uma tornozeleira eletrônica para que não descumprisse o isolamento social.

A determinação foi entregue nesta terça-feira dia 19 e foi decretado pela justiça de Ponta Porã, a mulher que está em prisão domiciliar, teve a instalação da tornozeleira na presença de Agentes da Saúde e policiais para permanecer em casa.

PUBLICIDADE

De acordo com a justiça, essa foi a única forma que encontraram para evitar que a mulher saia de casa e venha infectar muitas outras pessoas que estão inocentes em meio a tudo isso.

De acordo com a Secretaria de Saúde, não se pode permitir que isso aconteça, ela foi procurada no endereço dela, e quando encontraram ela estava andando pelas ruas no meio das pessoas sabendo que já estava contaminada com coronavírus.

Não estava se preocupando com as outras pessoas, fazendo pouco caso da doença, então foi determinado pela justiça uma prisão domiciliar e o uso de tornozeleira eletrônica.

Marcelo Guimarães, o juiz que despachou a ordem de prisão domiciliar para a mulher e também a colocação da tornozeleira para permanecer em isolamento, disse que ela estava   sendo orientada para o isolamento, mas não atendeu as visitas da rede saúde, nem os telefonemas, ela estava descumprindo a determinação por isso foi necessária uma ação mais rígida para o bem da população de Ponta Porã.

 

Escrito por Informe Cl

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.