Tristeza: Bebê morre após oxigênio falhar enquanto decorria uma transferência de hospitais a 21 km de distância:”Eles tentaram de tudo”, diz a mãe

Prefeitura do interior de SP, se manifestou sobre o caso.

Tristeza, bebê de dois anos, não resiste após tanque de oxigênio ter falhado no interior da ambulância, no momento que estava a ser transferido entre duas unidades hospitalares. A pequena Isadora Lorena Ribeiro, que ficou sem ajuda do aparelho entre os dois hospitais que tem uma distância de vinte e um quilômetros, estava acompanhada da mãe.

PUBLICIDADE

A Prefeitura, se manifestou no qual diz que o oxigênio não sofreu falha. Nesta sexta (12), ao G1, mãe da menina, Ana Lucia disse que por volta das quatro horas e trinta da última sexta (5), a menina tinha acordado passando mal.

Além disso, a bebê também sentir falta de ar, e foi colocada a respirar com o aparelho de ajuda urgente. Além disso, o exame de sangue realizado diagnosticou anemia, e o médico de imediato decidiu fazer a transferência para outra unidade hospitalar, onde as maiores oportunidades a nível médico existiam.

PUBLICIDADE

Já aproximadamente pelas oito horas e quarenta, foi dada a ordem de transferência. Foi então que as duas, foram levadas para outra unidade hospitalar. No trajeto, Ana se deu conta que a filha estava a ficar com a boca roxa.

Ana conta ainda, que tinha perguntado para a enfermeira, se o oxigênio estava a funcionar, no qual ela saiu do lado de ano, e viu que não estava. A enfermeira, tentou ainda mexer para ligar, mas sem sucesso. Foi então, que ela perguntou ao motorista se dava para ele encostar a ambulância. Ele disse ainda que não, e começou a dirigir mais rápido.

Segundo a dona de casa, a enfermeira tinha telefonado para uma colega da UBS, e perguntou o que poderia fazer para conseguir estabilizar o aparelho e colocar a funcionar. Mas mesmo assim, sem sucesso, e o motorista, aumentou ainda mais a velocidade, para chegar rapidamente na unidade de saúde.

Quando chegaram ao hospital, foi marcada com um grande desespero. A filha de Ana já não conseguia mais respirar, e a mãe disse ainda, que viu os membros da filha a contorcerem, e que a temperatura caiu. A enfermeira de imediato abriu as portas ambulância, gritando por urgência, e uma equipa médica surgiu para pegar a menina.

Vinte minutos depois, ela não voltou disse a mãe. Uma médica depois apareceu e falou para Ana que a sua anjinha não estava mais aqui, que eles tentaram fazer de tudo. Sofreu uma paragem cardiorrespiratória e não aguentou.

Escrito por Carla Sofia

Sou especialista em Receitas, dicas e saúde! Gosto sempre de estar atualizada de novas receitas e formas medicinais!