Vaticano expulsa ex-cardeal dos Estados Unidos acusado de abuso sexual a menores

A expulsão acontece em um período no qual a Igreja tenta administrar da melhor forma esse tipo de denúncia feita por oficiais do Vaticano. Para a semana que vem, uma cúpula será realizada para definir diretrizes de como agir nesse tipo de situação.

Pela primeira vez na história da Igreja Católica, um cardeal foi expulso da ordem depois de ser acusado de abusos sexuais. A informação foi divulgada pela assessoria da Imprensa da Santa Fé. Theodore McCarrick, de 88 anos, era cardeal e arcebispo emérito em Washington, onde foi alvo de investigações depois de denúncias de abuso sexual. As investigações foram apoiadas e também solicitadas pelo Papa Francisco, que tem feito declarações cada vez mais rígidas sobre como a igreja deve lidar com esse tipo de situação.

A expulsão acontece em um período no qual a Igreja tenta administrar da melhor forma esse tipo de denúncia feita por oficiais do Vaticano. Para a semana que vem, uma cúpula será realizada para definir diretrizes de como agir nesse tipo de situação e também lidar com os acusados de abusos sexuais, especialmente contra menores – denúncias que mancham a igreja há décadas. Recentemente, denúncias chocantes explodiram na Alemanha, Chile e Estados Unidos, forçando a Igreja a se posicionar.

PUBLICIDADE

O Papa Francisco, por muitas vezes, declarou que adotará uma postura de “tolerância zero” que será aplicada também nos oficiais de alto cargo dentro da Igreja. Em comunicado da Congregação para Doutrina da Fé, a decisão do Papa é esclarecida. “O Santo Padre reconheceu a natureza definitiva, em conformidade com a lei, desta decisão, que torna o caso resolvido, isto é, não sujeito a uma nova apelação”, afirma.

Theodore McCarrick, deixa de ser um membro e oficial da Igreja Católica, e com isso perde o direito de se vestir ou atuar como líder religioso. Recluso no Kansas, Estados Unidos, o homem já havia sido afastado de suas atividades como cardeal anteriormente enquanto as investigações aconteciam. Agora, o Vaticano o considera culpado e determina a pena máxima possível pela Igreja.

PUBLICIDADE

Theodore McCarrick atuou como cardeal em Washington entre os anos 2000 e 2006 e foi ordenado por João Paulo II. Em abril de 2005, McCarrick participou ainda do conclave que elegeu o Papa Bento XVI. As denúncias contra o ex-cardeal começaram a aparecer durante o ano de 2018, quando o primeiro denunciante, atualmente com 40 anos, afirmou que foi vítima de abusos por duas décadas, cometidas por McCarrick.

Escrito por Carla Lopes Silva

Colunista em sites de notícias e curiosidades. Adoro escrever sobre todo tipo de assunto. Curiosa por natureza, e amante da internet. Contato: [email protected]